Hello

Mês: dezembro 2016

5 táticas narcisistas para manter a ilusão da família perfeita

Para que a mãe narcisista passe a imagem de perfeição em todos os setores de sua vida, faz-se vital que brilhe também no seu papel de mãe. Vale destacar o termo “papel”, visto que a maternidade, para a narcisista, não passa de uma encenação desprovida de qualquer significado afetivo. Ainda que a união e a funcionalidade do sistema familiar estejam longe de refletirem a verdadeira prioridade da matriarca narcisista, esta nunca se abstém de dedicar grande energia em criar e manter a ilusão da família perfeita, para que tudo, absolutamente tudo referente a sua pessoa exale uma aura de excelência irrefutável.

As filhas de mães narcisistas, assim como qualquer membro da constelação narcisista, comumente demonstram-se cientes, mesmo que não abertamente, de que fazem parte de um sistema familiar caótico, incoerente e disfuncional. Também sabem, por intuição e desde pequenas que, em vez de sentirem-se incluídas e valorizadas por este suposto núcleo, sentem-se eternamente rejeitadas pela total falta de afeto de quem supostamente as ama de maneira genuína e incondicional. Se você está cansada de funcionar como atriz coadjuvante em mais uma pantomina narcisista, mas ainda se sente receosa de confiar em sua intuição, aqui estão as dicas que você estava esperando.

Seguem 5 táticas narcisistas para manter a ilusão da família perfeita:

1- Segredos

Embora o convívio com a narcisista revele-se extremamente difícil e seja marcado por desentendimentos, os únicos que têm conhecimento do que realmente ocorre debaixo do teto narcisista são os diretamente envolvidos. Diante de outras pessoas, no entanto, a mãe narcisista representa o retrato ideal de mãe amável e dedicada, pois nada pode danificar sua imagem de sucesso pessoal. Tudo que considera abaixo de seu patamar altíssimo de qualidade, como histórias complicadas de laços familiares (filhos de relacionamentos passados com os quais não tem intimidade alguma; parentes com doença mental, alcoólatras ou considerados “bastardos” (não reconhecidos); infidelidade; escândalos de ordem financeira, como problemas de herança ou monopólio indevido/roubo de dinheiro etc.) são cuidadosamente protegidas da curiosidade alheia. Informação que só sirva para “sujar o seu nome”, segundo a visão da mãe narcisista, não é compartilhada nem com quem convive diretamente, como filhos e parceiro amoroso.

2- Negligência emocional

Para que a mãe narcisista mantenha a falsa pretensa de que sua família é “perfeitamente normal”, qualquer sentimento que não a favoreça ou complemente esta ideia é ignorado ou invalidado por completo. Sentimentos antagônicos intensos como a ansiedade, insatisfação e a raiva, por exemplo, tendem a ser desconsiderados ou minimizados, pois se reconhecidos comprometem a validade da autoridade e soberania narcisista. Por meio de chavões do tipo “Homem não chora”, “Não adianta chorar”, “Eu só quero o melhor pra você” ou “É feio ter raiva da própria mãe”, a mãe narcisista move o foco do sofrimento dos filhos para longe de si mesma, distanciando-se da raiz de seus problemas. Quanto menor seu envolvimento com o estado emocional de quem a rodeia, menor sua responsabilidade para com este. Melhor se torna o quadro da família exemplar, aquele formado exclusivamente por membros “felizes” e “realizados” e sem qualquer “anormalidade” (tal como transtornos de personalidade ou outra doença mental como a depressão ou transtornos de ansiedade, dificuldade de aprendizado ou concentração etc.).

5 táticas narcisistas para manter a ilusão da família perfeita

A mãe narcisista faz o que pode para manter a ilusão da família perfeita

3- Negação de problemas

Apesar dos filhos sentirem-se rejeitados, sofrerem com a negligência afetiva e emocional ou acabem por apresentar problemas de desenvolvimento como resultado direto de sua nefasta influência, a mãe narcisista nunca admite nenhuma responsabilidade por qualquer tipo de problema relacionado a sua família. Se algo acontece de errado, a culpa com certeza não é dela. Sempre há uma explicação coerente e plausível para justificar a “incapacidade” de seus familiares. Evidentemente a justificativa é orquestrada para eximi-la – sempre – de qualquer dano causado a outrem. Se os filhos sofrem com a depressão ou ansiedade, desenvolvem vícios ou não conseguem se realizar pessoal, acadêmica ou profissionalmente é porque são de fato “fracos”. Quando se sente ameaçada, faz livre uso de lugares-comuns para ilustrar seus “comportamentos impróprios”, tal como “Eles nunca me ouvem” ou “Adolescente é difícil”, assim como pérolas do tipo “Eu nunca me comportei assim com meus pais”.  A mensagem é invariavelmente a mesma: “Tô fora!”.

4-Triangulação

Caso um drama familiar assuma proporções negativas que excedam a capacidade de acobertamento da mãe narcisista, a triangulação torna-se sua arma de contra-ataque. Para continuar a emanar a aparência de mãe perfeita da família perfeita, a mãe narcisista coloca uns membros contra os outros, mas a favor dela. A triangulação consiste, portanto, em uma tática astuta e sofisticada que usa da carência afetiva de filhos ou parceiros amorosos contra si mesmos para que, como já sabemos, a narcisista preserve seu status privilegiado. Nesta batalha contra o inimigo da “harmonia” familiar narcisista, vale tudo. Seja a combinação que for, mãe narcisista e filha contra filho, mãe narcisista e marido contra filhos ou mãe narcisista e filhos contra marido, a mãe narcisista se mantém vencedora enquanto aquele que ousa ameaçar a glória de seu reinado, pela razão que for, é excluído do ciclo de ouro materno.

5- Aparências

O teatro narcisista desconhece limites. Com a finalidade de destacar o mérito de sua posição e difundir seu suposto sucesso no âmbito familiar, a mãe narcisista usa seus dotes artísticos para veicular a figura de ícone maternal. Quando em público é inusitadamente afável e atenta às necessidades dos filhos e até “se emociona” em momentos de celebração de suas conquistas. Esta atitude, obviamente, é programada não só para causar um efeito marcante nos espectadores, bem como para alardear as habilidades dos filhos e aniquilar a “concorrência”, o que nunca acontece quando longe de plateia. O caráter inescrupuloso combinado com a vaidade e a arrogância da mãe narcisista tornam-se desconcertantes para os filhos, expostos, desde pequenos, a uma realidade repleta de contradições. Mas como o que sentem não é considerado importante, resignam-se a sua irracionalidade conformando-se com as expectativas da mãe transtornada, ou seja, comportam-se de forma irrepreensível inclusive quando se sentem destruídos emocionalmente. Tudo, é claro, em nome das aparências.

Pertencer a uma família regida pela tirania narcisista não precisa equivaler a uma sentença de prisão. Você tem todo o direito de quebrar o vínculo com relacionamentos familiares tóxicos. Para saber como dar um fim ao ciclo do abuso narcisista, eu recomendo muito o meu livro, Prisioneiras do Espelho, Um Guia de Liberdade Pessoal para Filhas de Mães Narcisistas. Para ler mais a respeito do meu livro, clique aqui

Scroll to top