Blog

Como criar e manter relacionamentos funcionais em 2019

Como criar e manter relacionamentos funcionais em 2019

Os amigos verdadeiros celebram os momentos especiais e demonstram apreciação e gratidão pela amizade

Porque todos necessitamos de relacionamentos funcionais em nossas vidas para nos sentirmos realizados no campo pessoal, achei pertinente usar este espaço para incluir dicas de como criá-los e mantê-los saudáveis. Infelizmente, em um filho ou filha de mãe narcisista, este conhecimento tende a não lhe ser nato, visto ter sido criado em um ambiente tóxico de muito abuso e negligência afetiva e emocional. Devido ao fato de que provém de uma cultura familiar disfuncional, é comum perpetuar esta tendência relacional também fora deste ambiente e atrair pessoas imaturas emocionalmente e até tóxicas. Para ajudá-lo a mudar este quadro neste novo ano que se inicia e melhorar a qualidade dos seus relacionamentos, seguem 9 dicas de como criar e manter relacionamentos funcionais em 2019:

1- Tenha paciência e dê tempo ao tempo. Os relacionamentos funcionais não ocorrem da noite para o dia, mas tendem a levar tempo para se tornarem sólidos. Este tipo de relacionamento possui uma dinâmica democrática e adulta, é formado por indivíduos maduros e autônomos que respeitam a liberdade pessoal, as vontades e os interesses dos outros. Nessas circunstâncias, não é não. Em vez de ficarem de cara amarrada e fazerem chantagem emocional para conseguir o que querem, são pacientes, respeitam o tempo e o espaço do outro e entendem quando o momento é inapropriado para certos encontros, planos ou atividades, ou quando é necessário encontrar um meio-termo ou chegar a um consenso que favoreça ambas as partes da melhor forma possível.

2- Lembre-se do que é ser amigo e, sobretudo, do que não cabe a este papel. Os amigos[i] verdadeiros são empáticos, compreensivos e respeitosos, além de agirem com a autoestima e autoconfiança, colocando-se primeiro, como regra, na própria vida e não depois do outro, independente do nível de intimidade que compartilhe. Enquanto que o amigo leal ajuda em momentos difíceis, não é função de nenhum amigo comportar-se como o pai, mãe ou terapeuta do outro e estar permanentemente disponível para “resgatá-lo”. Independente do tipo de apoio que se dá a um amigo, isso também não equivale a uma obrigação, mas a um ato de amor, bondade, amizade e compaixão. Vale lembrar que a ajuda só é saudável para um relacionamento quando respeita as limitações de quem a oferece, assim como é da natureza do próprio relacionamento.

3- Mantenha o respeito. A amizade verdadeira é descontraída e inclui a brincadeira, mas não compactua, de forma alguma, com o bullying e o abuso verbal. O amigo verdadeiro, mesmo quando de inteligência engenhosa e humor astucioso, sabe como regular o poder da própria língua para não intimidar ou expor o outro. Nos relacionamentos saudáveis, o humor, o riso e a piada são usados para se conectar com o outro e não para aliená-lo.

4- Exerça um alto nível de consciência e autonomia emocional. Nos relacionamentos funcionais não há codependência e dependência emocional, mas tanto você como o seu amigo exibem um alto nível de consciência sobre o próprio comportamento e estado emocional. Neste contexto, ambos estão cientes da influência que podem exercer um no outro e a forma que se afetam emocionalmente, o que os fazem mais cautelosos e honestos em relação à forma de agir, principalmente quando se sentem sob o forte domínio de sentimentos antagônicos. O amigo de verdade lida com a própria inadequação, amplamente, de modo independente e não usa o amor e a cumplicidade do outro para descarregar a raiva e se regular emocionalmente, por exemplo, de maneira aproveitadora, indolente e irresponsável, mas permanece atento – mesmo quando frustrado – do impacto que causa nele.

5- Peça desculpas. Porque amigos verdadeiros estão sujeitos, como todos nós, a cometerem erros, reconhecem quando não se comportam de forma adequada e magoam o outro, pedindo desculpas e assumindo a sua parcela de responsabilidade pelas consequências de seus atos. É pertinente relembrar que os relacionamentos funcionais, apesar de altamente respeitosos e saudáveis, são humanos, portanto, não são perfeitos.

6- Não insista em discussões desnecessárias. Por mais que nos identifiquemos com o outro e tenhamos um relacionamento harmonioso com os nossos amigos, é normal haver momentos em que os nossos pensamentos se opõem. Nos relacionamentos funcionais, “We agree to disagree”, ou concordamos em discordar, com calma e naturalidade. Isso se deve ao fato de que, em uma interação adulta, democrática e equilibrada, defender e argumentar contra uma ideia não é um ato intencionado a converter o outro ou forçá-lo a ver o mundo de certa forma, mas um exercício de socialização, reflexão e livre troca de ideias. Nestes casos, mesmo que haja desconforto resultante de um sentimento de antagonismo, deve-se lidar de maneira autônoma e sem envolver o outro, puni-lo ou isolá-lo, por exemplo, por ter visões de mundo próprias.

7- Seja verdadeiro. Quando se é aceito pelo outro, não temos medo de ser quem somos, independente do que isso signifique. Nos relacionamentos saudáveis, a autenticidade permite que nos mantenhamos verdadeiros com o nosso eu, corpo e sentimentos, isto facilita a intimidade e a realização pessoal também com outro ser humano. Mentir, inventar desculpas e fingir que é outra pessoa para agradar ou atender às expectativas de um “amigo” não reflete uma forma de se relacionar espontânea, genuína e baseada na autoestima, afeto e respeito, mas uma atitude insegura e codependente.

8- Demonstre apreciação e gratidão pela amizade. Os amigos verdadeiros mantêm viva a amizade mesmo quando distantes, cultivando-a de forma ativa e consciente. Isso ocorre quando se esforçam para manterem-se cientes do que acontece na vida do outro, por exemplo, celebram os momentos especiais e demonstram apreciação e gratidão pela amizade seja diretamente através de palavras ou indiretamente por meio de manifestações de afeto e carinho.

9- Todos responsabilizam-se pelo relacionamento. Quando um relacionamento “funciona” e favorece o indivíduo, todos os envolvidos esforçam-se para mantê-lo saudável. Nestes contextos, há um evidente entendimento sobre a complexidade dos relacionamentos humanos e uma clara intenção de dedicar-se a superar problemas, sejam de ordem individual ou coletiva. Nas situações as quais apenas um indivíduo sente-se inteiramente responsável pelo (bom) funcionamento de um relacionamento e trabalha sozinho para garantir a sua sobrevivência, esta atitude tende, na esmagadora maioria das vezes, a produzir o efeito oposto, ou a perpetuar uma dinâmica disfuncional.

Embora os relacionamentos humanos necessitem de nossa dedicação para funcionarem, quando você insiste em melhoras em um relacionamento – seja da natureza que for – mas nunca se concretizam ou são sustentadas a longo prazo é porque não são possíveis. Se já investiu meses e até anos em um relacionamento com a esperança de que mude e se torne recompensador sem nenhum sucesso significativo, está na hora de se conscientizar deste fato, parar de desperdiçar energia e buscar novas oportunidades.

[i] O termo “amigo” também pode ser substituído por “parceiro amoroso”

 

Scroll to top