Comportamentos de autossabotagem

comportamentos de autossabotagem
A filha de mãe narcisista recorre a comportamentos de autossabotagem para “lidar” com sentimentos negativos.

Comportamentos de autossabotagem retardam o crescimento e desenvolvimento pessoal da filha de mãe narcisista.

Luciana voltou à estaca zero. Parece loucura, mas se sentir perdida é uma atitude tão comum em sua vida, que acaba “fazendo sentido” após um longo período de altos e baixos. “Eu já estive nesta situação tantas vezes”, comenta, “que só pode ser porque não sei mesmo como mudar. É decepcionante”.

Embora se trate de uma pessoa inteligente e capaz de analisar sua própria atitude de forma clara e madura, Luciana acha difícil realizar seus objetivos até o final. Consegue refletir objetivamente a respeito de si mesma e escolher a direção correta, até que algo acontece que a faz sentir-se completamente imobilizada e desmotivada. A história é antiga: começa a se dedicar a uma ideia nova, mas acaba por desistir no meio do caminho sem ao menos saber o porquê.

A última decepção de Luciana foi não ter levado os estudos a sério quando tudo o que queria era finalmente mudar de carreira. Com o pensamento fixo em um futuro repleto de realizações profissionais, começou um curso noturno cheia de energia. Com o passar do tempo, no entanto, o cansaço de ter de trabalhar de dia e estudar à noite, além de não ter quase nenhum tempo livre para passar com amigos e família, resultara em um intenso desconforto.

Como se não bastasse ter de fazer tanto esforço para conseguir levar a cabo o seu projeto, como abrir mão de atividades relaxantes e prazerosas para se dedicar aos livros, a mãe narcisista da Luciana, sentindo-se abandonada pela falta de interesse da filha nos eternos “dramas” de sua vida, passou a criticá-la questionando o mérito de sua decisão. Sob pressão e exausta tanto física como emocionalmente, Luciana resolveu cancelar o curso, colocando seu futuro brilhante à espera como lhe é de costume.

A Luciana, como muitas filhas de mães narcisistas, é uma autossabotadora. Em outras palavras, recorre a comportamentos de autossabotagem (improdutivos) para “lidar” com sentimentos antagônicos. Quando se sente insegura de sua capacidade tanto física como psicológica de completar sua meta, em vez de encarar o desconforto de frente com complacência e de maneira aberta e sincera, rejeita-o completamente, enterrando-o nas profundezas de sua psique para que se “dissipe” sozinho com o resto de suas indecisões e vulnerabilidades (um entre muitos dos comportamentos de autossabotagem amplamente usados por filhas de mães narcisistas).

O problema é que este remédio possui efeito passageiro. Após meses de noites livres e tecnicamente despreocupadas, Luciana se encontra tão insatisfeita e decepcionada consigo mesma como antes de ter começado o bendito curso. É como se fosse escrava de um ciclo vicioso de desapontamentos. Assim como a Luciana tem o hábito de desistir de seus planos quando se tornam mais complexos para serem executados, muitas filhas de mães narcisistas recorrem à comida ou a entorpecentes para camuflarem as dificuldades de suas vidas.

Você gostaria de dar um fim ao autoboicote e lidar de uma vez por todas com os comportamentos de autossabotagem que estão destruindo com a sua autoestima?

Para quem se vê presa em comportamentos de autossabotagem, é importantíssimo desenvolver uma consciência de como eles se tornam ativos e influentes, tanto cognitiva como emocionalmente. A seguir, oito agentes que estão minando com a sua capacidade de implementar mudanças positivas em sua própria vida:

1- Aversão a pensamentos negativos

Se eu estou pensando que não vai dar certo é porque não vai dar certo”. Filhas de mãe narcisistas comumente encontram dificuldades de distinguir pensamentos de fatos. Como resultado, morrem de medo deles quando negativos. Por literalmente não os aturar e recusar-se a aceitá-los como entidades abstratas e passageiras, colocam-se à mercê destes, como se não fossem capazes de refletir de maneira racional e objetiva sobre a origem e o conteúdo dos mesmos.

2- Aversão a sentimentos negativos

Se estou me sentindo insegura/inadequada/temerosa/desmotivada é porque não vai dar certo”. Por serem perfeccionistas e intolerantes consigo mesmas, filhas de mães narcisistas têm dificuldades de aceitar sua própria humanidade e, portanto, a ocorrência de sentimentos negativos. Como foram adestradas a reprimi-los, acreditam que seja inaceitável senti-los. O reflexo da filha de mãe narcisista, quando se sente afetada diretamente por um sentimento de natureza adversa, é fazer tudo a seu alcance para acobertá-lo, mesmo que isto acarrete consequências profundamente danosas ao seu bem-estar em longo prazo.

3- Procrastinação

Amanhã vou ter mais disposição/vou fazer isso melhor. Não amanhã não, semana que vem. Não, semana que vem não, no próximo mês. Melhor mesmo vai ser depois do ano novo…” A procrastinação é um problema tão comum porque “funciona”. Protelar é a maneira mais fácil e rápida de se lidar com o desconforto emocional proveniente da realização de um novo objetivo, principalmente quando fora da zona de conforto. Para quem se recusa a aceitar sentimentos negativos, como a filha de mãe narcisista, procrastinar é a “solução perfeita”, pois vai ao encontro de ideias perfeccionistas tais como “Só vale a pena fazer alguma coisa quando o resultado é perfeito” (Prisioneiras do Espelho, Um Guia de Liberdade Pessoal para Filhas de Mães Narcisistas, página 218). Para o(a) perfeccionista, procrastinar faz sentido, pois é inflexível e até tirano(a) consigo mesmo(a), valoriza somente o esforço quando este assegura o sucesso absoluto.

4- Falta de disciplina e incoerência

Não vou fazer isso hoje porque não estou com vontade e porque sou dona do próprio corpo”. Por ter dificuldades de se regular emocionalmente e de se motivar, a filha de mãe narcisista frequentemente permite que a preguiça e a insegurança deem as cartas. Como foi educada por uma mãe desinteressada e ausente, aborda seus objetivos de maneira inconsistente e sem muita estrutura ou ordem. Devido a sua autoestima frágil, também se sente facilmente ameaçada pela rigorosidade e disciplina, como se interferissem diretamente com a sua autonomia, retirando-lhe sua independência e liberdade de escolha.

5- Baixa autoestima e falta de amor-próprio

Se não está dando certo/se estou me sentindo inadequada ou insegura é porque não sou capaz”. A filha de mãe narcisista tende a manter a crença que é “de fato” incompetente. Como confia cegamente em seus pensamentos, acredita não ser boa o suficiente porque “realmente” não é. Ao mesmo tempo, por ter dificuldade de se visualizar como uma mulher adulta e experiente, assim como de valorizar seus próprios atributos, costuma questionar suas habilidades através de ruminações denigrativas. Possui o hábito de julgar o próprio comportamento de forma negativa assim como de exagerar a significância de momentos difíceis como prova de sua suposta ignorância, mesmo se ocasionados por um grande número de fatores, muitos dos quais além de seu controle.

6- Inércia

Não vou nem fazer nem pensar no assunto” A intolerância da filha de mãe narcisista a pensamentos e sentimentos negativos chega por vezes a se tornar tão intensa que resulta em paralisia total. Opta pela omissão a fim de neutralizar o efeito de suas próprias emoções, como se sentir-se inadequada fosse uma atitude inadmissível ou não tivesse valor algum.

7- Dissociação

Nada como uma bebidinha para relaxar”. A preocupação exagerada com a aparência, o abuso do álcool ou das drogas, o vício alimentar ou em compras, assim como a preferência por comportamentos de risco ou pela imprudência são alguns dos exemplos mais comuns das muitas táticas usadas por filhas de mães narcisistas para lidarem com a interferência negativa de sentimentos antagônicos. Em vez de reconhecerem a validade de suas emoções e lidarem com a ansiedade, depressão, ou demais sentimentos de inadequação de forma produtiva, escolhem o escapismo, a desfragmentação de suas psiques, dissociando-se do momento e se distanciando de si mesmas e de seu próprio sofrimento.

8- Influência invejosa e derrotista da mãe narcisista

Tem certeza de que é isso que você quer?” Seja internamente na forma de autocrítica, ou externamente por meio de comentários afetados, o pessimismo e a desconfiança da mãe narcisista em relação às capacidades da filha – principalmente quando não correspondem ou excedem as dela – são seus maiores inimigos. Por se recusar a reconhecer a individualidade, autonomia e independência da filha, a mãe narcisista favorece comportamentos de autossabotagem da filha ao minar seu  entusiasmo, disputar o mérito de seus objetivos ou ao invalidar seus esforços e, desse modo, sentir-se superior e em paz consigo mesma.